A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Only variable references should be returned by reference

Filename: core/Common.php

Line Number: 257

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/kelle/dhpaz.org/system/core/Exceptions.php:185)

Filename: libraries/Session.php

Line Number: 675

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/kelle/dhpaz.org/system/core/Exceptions.php:185)

Filename: libraries/Session.php

Line Number: 675

Depoimento para a História - A resistência à ditadura militar no Paraná

Depoimento para a História - A resistência à ditadura militar no Paraná


Nome: Wilson Previdi

Profissão: Aposentado

Idade: 81 anos

WILSON PREVIDI é um dos comunistas históricos do Paraná. Integrou a União da Juventude Comunista e em meados da década de 40 já participava de campanhas eleitorais, ajudando a eleger Maria Olimpia Carneiro, integrante do PCB mas eleita pelo PST, a primeira mulher eleita vereadora de Curitiba em 1947. “Eu tinha 15 anos e a vi quebrar tabus com a sua vitória”, relembra. Na juventude, chegou a ser detido duas vezes por pichações.

Previdi era um daqueles militantes incansáveis. Pela sua narrativa, é possível entender como se davam as idas e vindas pelas cidades do estado convocando, mobilizando e organizando ações e eventos, mesmo antes do golpe de 64. Funcionário do Banco do Brasil, ele tem forte atuação no movimento sindical dos bancários, especialmente no interior, em Assai, para onde é designado. É eleito vice-presidente da Associação Atlética do Banco do Brasil (AABB) e por sua participação nos movimentos grevistas, sua permanência na cidade fica impossível. “Não falavam comigo na rua, me isolaram completamente por eu ser comunista”, recorda.

Já casado e com dois filhos, Previdi retorna a Curitiba em 1965 e continuar a militância no PCB. Até 68, ele integra a oposição à direção do Sindicato dos Bancários, mas não participa da chapa “porque o Ministério do Trabalha vetaria o meu nome”. Vencida a eleição em que o advogado Luiz Salvador é eleito presidente, é nomeado diretor de publicidade e integra a gestão. A partir da decretação do AI-5, tudo muda. A vigilância se intensifica, mas a militância clandestina no PCB continua. Sempre tomando muito cuidado, usando codinomes com os contatos que fazia pelo interior e litoral do Paraná, Previdi não chegou a ser preso na Operação Marumbi realizada em 1975. Ele não, mas seu pai, Virgílio, ficou 90 dias preso.

Participei de todas essas lutas, de todos os movimentos, Anistia, Diretas Já. Sempre junto com o pessoal do partido e junto com o pessoal de outras correntes também”, afirma Previdi, que ainda hoje faz parte da comissão executiva do PCB como tesoureiro.  

 

 

Voltar para depoimentos

Visite-nos:

Rua Voluntários da Pátria, 475, Ed. Asa

Escritório: conjunto 1209, 12º andar

Mini auditório: conjunto 608, 6º andar

Centro - Curitiba/Pr - 80020-000

Fone: ++ 41 3079-1759