A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Only variable references should be returned by reference

Filename: core/Common.php

Line Number: 257

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/kelle/dhpaz.org/system/core/Exceptions.php:185)

Filename: libraries/Session.php

Line Number: 675

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/kelle/dhpaz.org/system/core/Exceptions.php:185)

Filename: libraries/Session.php

Line Number: 675

Depoimento para a História - A resistência à ditadura militar no Paraná

Depoimento para a História - A resistência à ditadura militar no Paraná


Nome: Vitorio Sorotiuk

Profissão: Advogado

Idade: 68 anos

VITÓRIO SOROTIUK, filho de pai farmacêutico filiado e eleito vereador pelo PTB, tão logo entrou no curso de Direito da UFPR, em 1965, passou a atuar no movimento estudantil. Participou das gestões do Centro Acadêmico Hugo Simas, inclusive como presidente em 1967, conseguindo mantê-lo ativo e livre das ingerências do regime e de grupos conservadores. Devido a essa atuação inicial, Vitório ficou trinta dias detido, iniciando seu mandato na cadeia. Ao sair, passou três meses foragido e na clandestinidade, com prisão preventiva decretada. Em 1968, quando já havia deixado o Partido Comunista Brasileiro e se vinculado ao Partido Comunista Brasileiro Revolucionário, o PCBR, foi eleito presidente do Diretório Central dos Estudantes, tomando posse em meio a uma peça teatral, como forma de driblar a repressão. Participou dos malfadados encontros da UNE em Ibiúna e na Chácara do Alemão, sendo novamente preso e desta vez cumprindo pena até outubro de 1971.

Ao deixar o cárcere, perseguido, exilou-se no Chile já no começo de 1972, ficando lá até pouco depois do golpe que derrubou o governo progressista de Allende. Antes de partir para França e Suiça, Vitório passou quarenta dias detido no Estádio Nacional. Exilado na América Latina e na Europa, participou de organizações de brasileiros, como o Comitê de Denúncia da Repressão e o Comitê de Anistia.

Trabalhou ainda como falsificador de documentos pelo PCBR no Chile, organizou uma rede de contatos para garantir a entrada clandestina de exilados no Brasil, trabalhou na gráfica do partido socialista francês, onde elaborou e imprimiu um dossiê sobre prisões e torturas no Brasil, e organizou um curso de português, destinando parte dos recursos arrecadados para apoiar presos políticos.

Desde que voltou do exílio no dia 31 de agosto de 1979, Vitório participou ativamente dos acontecimentos políticos no país. Recentemente, foi candidato a vereador de Curitiba pelo Partido dos Trabalhadores, conseguindo uma expressiva votação.  

         

Voltar para depoimentos

Visite-nos:

Rua Voluntários da Pátria, 475, Ed. Asa

Escritório: conjunto 1209, 12º andar

Mini auditório: conjunto 608, 6º andar

Centro - Curitiba/Pr - 80020-000

Fone: ++ 41 3079-1759