A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Only variable references should be returned by reference

Filename: core/Common.php

Line Number: 257

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/kelle/dhpaz.org/system/core/Exceptions.php:185)

Filename: libraries/Session.php

Line Number: 675

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/kelle/dhpaz.org/system/core/Exceptions.php:185)

Filename: libraries/Session.php

Line Number: 675

Depoimento para a História - A resistência à ditadura militar no Paraná

Depoimento para a História - A resistência à ditadura militar no Paraná


Nome: Elizeu Ferraz Furquim

Profissão: Coronel Reformado do Exército

Idade: 74 anos

O golpe de 64 passou em branco para o então tenente da cavalaria ELIZEU FERRAZ FURQUIM, aquartelado em Maringá por 20 dias onde sabia das notícias apenas pelo rádio e jornal. Nascido em Siqueira Campos em 1939, aos 16 anos decidiu seguir a carreira militar e ingressou no curso de formação de oficiais. Com passagens por Campo Mourão, Londrina e Apucarana, foi transferido para a Curitiba no início da década de 70 para chefiar os Bombeiros, uma espécie de premiação pelos serviços prestados no interior pela cúpula da Polícia Militar da época.

Na capital, o Coronel Furquim, hoje aposentado, foi então designado em 1975 para a diretoria geral do Presídio Provisório do Ahu. “Não sabia o que me esperava, mas aceitei. Lá encontrei mais de 50 presos políticos, alguns conhecidos meus de Apucarana e Londrina, como Leonil, o mais velho de todos, Pedro Preto, hoje prefeito de Apucarana, entre tantos outros”, lembra.

Em sua gestão, o Coronel Furquim imprimiu um modelo pessoal de respeito aos Direitos Humanos e à Justiça garantindo a visita dos advogados e dos familiares dos presos políticos. Graças a sua articulação junto ao Governador Ney Braga e ao Secretário de Justiça Túlio Vargas, o Presídio do Ahu recebeu os últimos presos da Operação Marumbi e Barriga Verde que estavam na sede do Dops da Rua João Negrão, ainda comandada pelo Delegado Ozias Algauer. O tratamento auspicioso dispensado pelo Coronel é destacado pelos ex-presos políticos até hoje, o que o emociona! “Fiz o que era para ser feito”, enfatiza.

Num depoimento corajoso, o Coronel Furquim fala da carreira militar permeada por enfrentamentos dentro da corporação, da difícil convivência com os agentes da repressão das várias patentes e como conseguiu assegurar, naquele período de restrição das liberdades individuais, tratamento digno para os que estavam no Presídio do Ahu, tanto os presos comuns e os políticos.

 

Voltar para depoimentos

Visite-nos:

Rua Voluntários da Pátria, 475, Ed. Asa

Escritório: conjunto 1209, 12º andar

Mini auditório: conjunto 608, 6º andar

Centro - Curitiba/Pr - 80020-000

Fone: ++ 41 3079-1759